Cuidado! Carro novo com taxa zero pode ser uma cilada.

Se você está planejando comprar um carro zero, fique alerta. Nem sempre as promoções veiculadas na mídia mostram a negociação e valores de forma clara.

Com a alta demanda por carro zero e o acirramento da competição entre as concessionárias, tem sido comum a veiculação de publicidade com promessas que, na maioria dos casos, são falsas. Um exemplo é a “taxa zero” na compra de um carro novo.

Matéria da Revista Dinheiro&Direitos, da Proteste, edição 46 out/nov 2013, apresenta um completo estudo sobre o assunto e desmascara praticamente todos os anúncios publicitários.taxa

A primeira coisa que você deve desconfiar é a propaganda de taxa zero. Fique atento, a promoção não é tão tentadora assim.

De forma resumida, a matéria apresenta as seguintes informações:

Estudo feito pela Revista mostrou que 44% das concessionárias anunciaram essa promoção, o que nos leva a crer que, ao financiar o carro você pagará o mesmo que o valor à vista. É falso!

No financiamento você arca com taxa de cadastro (TC) e Imposto sobre Operação Financeira (IOF) e, em alguns casos, ainda vão te cobrar o seguro prestamista, ou apenas seguro, para o caso de desemprego ou acidente. Ocorre, que muitas vezes ele já está inserido na parcela e você não fica sabendo. Trata-se de venda casada e se configura crime, principalmente quando o banco exige a contratação para liberar o financiamento.

E tem mais! A suposta taxa zero, em geral, está atrelada ao pagamento de uma entrada mínima que pode chegar a 60% do valor total do carro.

A Revista também verificou que tanto a TC, o IOF e o seguro prestamista são embutidos na parcela e as concessionárias não permitiam o pagamento desses extras separadamente. Dessa forma, você arca com a incidência de juros em valores que poderia pagar separadamente. Sem falar que é ilegal a exigência de que o IOF seja financiado. Aliás, a própria TC não deveria ser cobrada porque, desde 2011 a Tarifa de Abertura de Crédito (TAC) está proibida. Disfarçadamente as concessionárias dão outro nome a ela, Taxa de Cadastro.

Muitas informações importantes que mexem no seu bolso e deveriam estar em destaque no anúncio são colocadas no rodapé. Apesar de ferir o Código de Defesa do Consumidor é um hábito comum nas publicidades.

Por essas e outras razões, ao contratar qualquer financiamento, não apenas de veículos, solicite informações claras sobre todo e qualquer valor que integre as parcelas. E pesquise muito, pois a diferença entre os valores cobrados por cada instituição financeira é muito grande.

Diante de tantas falsas promessas, a Revista Dinheiro&Direitos enviou pedido aos Procons de São Paulo e Rio de Janeiro e ao Banco Central, reivindicando a fiscalização das concessionárias e a aplicação das penalidades cabíveis. Enquanto isso, não acontece, a Revista recomenda para que você não compre um carro consultando apenas os anúncios de jornais ou revistas. Pesquise e levante outras opções disponíveis no mercado.

Vorlei Guimarães 

Share this:
Share this page via Email Share this page via Stumble Upon Share this page via Digg this Share this page via Facebook Share this page via Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *