Tapa buracos em Lins joga dinheiro fora

Hoje a tarde, fazendo a habitual caminhada pela pista de cooper da cidade, tive a ingrata surpresa de me deparar com dois funcionários da prefeitura realizando de maneira errada o trabalho de tapa buracos.

Não sou engenheiro e nem especialista em asfalto, entretanto, ficou muito claro o desperdício do dinheiro público. Sem nenhuma técnica, eles simplesmente jogavam o material nos buracos e batiam com a pá, sem compactar a massa asfáltica utilizada. Assim, basta a chuva ou o trafego de automóveis sobre o buraco para destruir o trabalho feito.

Não sei quem é o responsável por esse departamento mas, certamente, ele deveria participar de treinamentos específicos para a realização desse serviço.

Share this:
Share this page via Email Share this page via Stumble Upon Share this page via Digg this Share this page via Facebook Share this page via Twitter

Você conhece o termo “Greenwashing” ?

Se não conhece, é importante buscar informações, pois o assunto tem muito a ver com sua saúde ou suas despesas com produtos de consumo.

Mercadologicamente o termo em inglês significa “maquiagem verde”. Trata-se de uma ação de marketing na tentativa de posicionar uma marca ou produto como ecologicamente correto. Ocorre que nem sempre a promessa é verdadeira.

Um exemplo clássico está no comercial da Bombril, quando o famoso garoto propaganda da marca, Carlos Moreno, comenta que “BomBril já nasceu ecológico, é feito de aço e é muito mais higiênico. Depois que a senhora usa, ele enferruja, vira pó e some.“.

Ao final do comercial a marca apresenta o slogan “100% ecológico. Você acredita nisso?

O processo de produção de aço, principal matéria-prima do Bombril, é realizado em extrair o minério de ferro e processá-lo em altas temperaturas, o que gasta uma boa quantidade de energia e matéria prima. Os publicitários, coitados, devem achar que as palhas de aço dão em árvores que crescem nas dispensas dos supermercados, que seria a forma mais plausível de se ter um produto 100% ecológico.

Enfim, a afirmação é tão absurda que fica óbvia a intenção da marca e da agência de enganar o consumidor. Eles estão mentindo para nós sem o menor pudor. Essa é a marca que diz respeitar a mulher.

E se você acha que eles pensaram melhor e mudaram seus conceitos sobre a sustentabilidade do seu produto, dá uma olhada no que está escrito no site: “Bombril Ecológico. 100% Brasil. Você usa, joga fora, ele enferruja, se desmancha e some sem acumular bactérias e sem agredir a natureza.” e “é um produto que já nasceu ecológico graças ao minério de ferro existente em sua composição, que se degrada, vira ferrugem e desaparece na natureza, sem deixar resíduos.“.

Share this:
Share this page via Email Share this page via Stumble Upon Share this page via Digg this Share this page via Facebook Share this page via Twitter

Toyota perde liderança global de vendas para Volkswagen em 2016

A Toyota Motor perdeu uma liderança de quatro anos nas vendas globais de veículos para a Volkswagen, segundo dados divulgados nesta segunda-feira.

 A montadora japonesa afirmou que suas vendas globais, que incluem as marcas Toyota, Lexus, Daihatsu e Hino Motors, subiram 0,2 por cento em 2016, para 10,18 milhões de veículos. O volume ficou abaixo dos 10,3 milhões divulgados pela Volkswagen, que conseguiu um recorde de vendas globais apesar do escândalo de fraude em testes de emissão de poluentes.

As vendas globais do grupo japonês foram apoiadas por um aumento de 5,5 por cento nas vendas de veículos Toyota no Japão, após lançamentos que incluíram o Prius. As vendas fora do Japão recuaram 0,6 por cento, com redução de demanda na América do Norte e Oriente Médio e África.

A Toyota, que vinha sendo maior montadora do mundo em vendas desde 2012, estima que as vendas mundiais devem subir para cerca de 10,23 milhões de veículos em 2017.

Share this:
Share this page via Email Share this page via Stumble Upon Share this page via Digg this Share this page via Facebook Share this page via Twitter