Cafeína age como estimulante e ajuda na queima de gorduras

De herói a vilão e vice versa, a principal bebida do brasileiro, o café, sempre volta às mídias. Atualmente é citado por especialista com um “santo remédio”, consumido moderadamente. Ou os lobistas do produto se fortaleceram, ou os cientistas decidiram revisar as pesquisas anteriores que o apontavam como um produto não muito saudável. Leia a reportagem abaixo para saber mais sobre o assunto.

Fonte: www.minhavida.com.br – Dr. Roberto Navarro Sousa Nilo NUTRÓLOGO – CRM 78392/SP.

Café também melhora a concentração, a capacidade respiratória e ajuda a prevenir o diabetes.

Reza a lenda que há muito tempo atrás um pastor de nome Kaldi percebia que suas ovelhas ficavam mais agitadas quando comiam os frutos de um cafeeiro que tinha no seu quintal. Quando o pastor experimentou estes frutos também sentiu uma sensação de maior vivacidade. Lenda ou não, desde o século IV A.C. surgiram os primeiros relatos sobre o café e atualmente se estima que no Brasil seu consumo se aproxime de 710 mil toneladas ou 20 milhões de sacas por ano. Talvez todo este sucesso se deva à uma substância presente no café e de nome bem conhecido: cafeína. cafe

Bioquimicamente falando a cafeína é classificada como um alcalóide, do grupo das xantinas, grupo este formado também pela teofilina e pela teobromina, encontrada no chocolate. Várias plantas possuem cafeína na sua composição, não sendo exclusiva do café (Coffea arabica), sendo elas: erva mate ( Ilex paraguariensis ), guaraná ( Paullinia cupana ), cacau (Theobroma cacao ), chá ( Camellia sinensis ) e cola ( Cola acuminata).

Os efeitos da cafeína dentro do nosso organismo já são hoje melhor compreendidos pela ciência. Os benefícios ou prejuízos vão depender de um detalhe: a dose. Dependo da quantidade pode ser um ?santo remédio?, como prevenir a doença de Parkinson e o diabetes, segundo estudos recentes, ou seu excesso se transformar em “veneno”, levando a arritmias cardíacas muitas vezes fatais. A dose pode ser letal próximo de 10.000 miligramas, mas acalme-se pois uma xícara de café de 240 ml pode ter de 90 a 200 miligramas.

 Os benefícios da cafeína

A cafeína atua no sistema nervoso central como um estimulante direto por inibir a ação da adenosina, sendo esta substância uma participante do sistema de freio do cérebro, funcionando como um discreto calmante. Ao diminuir os efeitos da adenosina, a cafeína deixa nosso cérebro em constante alerta e com mais atenção e concentração, diminuindo também a fadiga mental.

É possível que a cafeína também estimule a produção cerebral de neurotransmissores como serotonina e dopamina, funcionando assim como um leve antidepressivo. Mas lembre: tudo dependerá da dose. Estes efeitos benéficos cerebrais da cafeína ocorrem com doses que não ultrapassem 300 mg/dia. Acima disto, pode causar irritabilidade, insônia e até mesmo dificultar a concentração. Aliás, quem dorme pouco por insônia deve evitar o uso do café pelo menos nas 12 horas que antecedem a hora de dormir.

Outro efeito também conhecido da cafeína é causar uma dilatação dos brônquios pulmonares, otimizando assim a capacidade respiratória. Não à toa os estudos mostram que um dos motivos do melhor rendimento dos atletas com o consumo prévio de cafeína antes das atividades físicas é a melhora da capacidade respiratória com melhor oxigenação dos músculos, melhorando assim seu rendimento. Aliás, além deste benefício, a cafeína diminui a percepção de cansaço pelo cérebro do atleta, fazendo com que o mesmo demore um pouco mais para atingir a exaustão. É sabido também que a cafeína estimula a lipólise por inibir uma enzima chamada fosfodiesterase. O que é a lipólise? Garanto que é aquilo que todo gordinho e também os marombados desejam: utilizar as células de gordura (adipócitos) estocadas em nosso corpo para gerar combustível para queima durante os momentos que o corpo necessita de um extra de energia para manter as atividades musculares que estão sendo exigidas. Este é o famoso efeito termogênico da cafeína, ou seja, ao transformar a gordura em fonte de energia há geração de calor e elevação da temperatura corporal (termogênese).

Como consumir

Com tantos efeitos conhecidos da cafeína dentro do corpo humano, o importante é saber utilizá-la com segurança. Na sua forma natural como é encontrada nas plantas (café, chá, chocolate, cola, erva mate ) sua ingestão é mais segura, mas não por isso devemos exceder a dose recomendada. A sugestão de estudos é que não devemos ingerir mais de 300 mg por dia de cafeína (alguns estudos sugerem no máximo 200 mg/dia ). Quer alguns exemplos práticos desta quantidade nos alimentos? Veja abaixo:

  • 30 ml de café espresso: 40 a 75 mg
  • 1 xic. de 240 ml de café coado: 95 a 200 mg
  • 1 xic. de 240 ml de chá mate:27 mg
  • 1 xic. de 240 ml de chá verde:24 a 40 mg
  • 350 ml de refrigerante à base de cola:30 a 35 mg
  • 240 ml de bebidas energéticas:36 a 80 mg
  • 25 gramas de chocolate amargo:17 a 23 mg
  • Analgésicos que possuem cafeína em sua fórmula: até 50 mg.

Na forma de suplementos (em cápsulas ou similares ) seu uso só deveria ser feito após avaliação médica. Aliás, não existe recomendação oficial para a prescrição da cafeína em doses medicamentosas dentro da medicina alopática. Existem alguns analgésicos que contém cafeína em sua fórmula, pois ela potencializa o efeito do analgésico e também aumenta a rapidez da sua absorção no intestino. Existem riscos e contraindicações para o seu uso, como citados abaixo:

  • Idosos, crianças e gestantes e mães que estão amamentando
  • Hipertensão Arterial, Insuficiência Coronariana e Infarto Agudo do Miocárdio
  • Arritmias cardíacas
  • Hipertireoidismo
  • Transtorno da Ansiedade Generalizada ou Síndrome do Pânico
  • Insônia
  • Irritabilidade
  • Gastrites (a cafeína estimula a produção de suco gástrico)
  • Osteoporose (em excesso a cafeína aumenta a excreção do cálcio pelos rins)
  • Abortos de repetição (alguns estudos referiram maior risco de interrupção da gestação com ingesta excessiva de cafeína).

Cafeína e dependência

Devo alertar também para o risco de desenvolvimento de dependência da cafeína. A ingestão frequente da cafeína com uma parada abrupta pode causar sintomas de abstinência como dores de cabeça, náuseas e irritabilidade. Nestes casos, a diminuição da sua ingestão deve ser gradativa, aos poucos e com orientação médica.

Enfim, mais uma vez vale o velho e sempre certeiro bom senso em nutrição: tudo se pode com ponderação e em doses adequadas. Respeitando-se as contraindicações salve o nosso bom cafezinho do dia a dia! Ou alguém discorda?

Clique, se quiser saber mais sobre a cafeína.

Share this:
Share this page via Email Share this page via Stumble Upon Share this page via Digg this Share this page via Facebook Share this page via Twitter

Itaipava muda embalagem em edição especial para o verão

Estratégias semelhantes àquelas realizadas em 2014 já estão sendo adotadas pelas marcas de cerveja. Destacar datas ou eventos pode ser outra ação.
Lata vermelha tem rótulo dourado e será distribuída em todo Brasil por tempo limitado. Nova cor foi escolhida por estar associada ao calor desta estação.
Priscilla Oliveira – Mundo do Marketing | 24/02/2015 – priscilla@mundodomarketing.com.br

A Itaipava criou uma edição especial de suas latas para o verão. As tradicionais embalagens brancas deram lugar à uma nova na cor vermelha, associada ao calor da estação mais quente do ano. Na parte frontal, o produto mantém o rótulo dourado da marca e, em seu verso e no selo de proteção, o mote da ação – “Verão é Nosso”.  A mudança terá edição limitada e será distribuída em todo Brasil, nos tamanhos de 269ml, 350ml e 473ml.lata

A Antarctica realizou uma ação semelhante, mas aproveitando a quarta-feira de cinzas. No pós-carnaval, os foliões se depararam com latas cinzas sendo vendidas pelo varejo. A marca é patrocinadora do carnaval de rua da cidade e ainda assumiu, este ano, o camarote da Sapucaí, tradicionalmente da Brahma.ant

Share this:
Share this page via Email Share this page via Stumble Upon Share this page via Digg this Share this page via Facebook Share this page via Twitter

Halls leva consumidores para expedição na Antártida

Ação desafia pessoas a recriarem uma maneira extrema de experimentarem a versão prata da bala com água gelada. Participações acontecem nas redes sociais.Силовой кабель АВВГз

A Halls levará três consumidores para a Antártida na ação #vaiencarar. Os interessados em participar devem enviar um vídeo de até 15 segundos pelo Instagram ou Facebook com a hashtag que leva o nome do concurso cultural, respondendo à pergunta “Qual a maneira mais extrema de encarar Halls Prata com água gelada?”. A postagem deve ser feita até o dia 27 de fevereiro, quando a empresa iniciará a apuração da ideia mais criativa e ousada.

Os autores dos três melhores vídeos embarcarão para a Antártida com tudo pago, entre os dias 12 e 15 de março. A viagem será um bate e volta de um dia no continente. Alguns vídeos patrocinados postados no Facebook e no Youtube divulgarão a promoção nas redes sociais. Além disso, após a viagem, um mini documentário sobre a expedição será lançado no canal da marca.

Share this:
Share this page via Email Share this page via Stumble Upon Share this page via Digg this Share this page via Facebook Share this page via Twitter

16 dicas para não queimar sua imagem nas redes sociais

Fonte: exame.com

Em 2014, os ânimos se acirraram nas redes sociais. Copa do Mundo e eleições foram o bastante para que uma multidão se queimasse, falando demais.

Twitter, por exemplo, registrou 21,5 milhões de posts relacionados aos presidenciáveis Dilma Rousseff e Aécio Neves. E as queixas contra crimes de ódio cresceram 84% em outubro, de acordo com a Central Nacional de Denúncias de Crimes Cibernéticos.

Muita gente perde o controle porque embarca no que John Suler, professor da Universidade de Rider, em Nova Jersey, apelidou de “efeito da desinibição online”, que consiste na impressão de que estar atrás de uma tela significa o anonimato. A falsa proteção aumenta a vontade de se expressar e instiga a agressividade.

Como as redes funcionam como uma vitrine, esse impulso comunicativo pode manchar a reputação na vida profissional. Engana-se quem pensa que os recrutadores ignoram os perfis sociais, como Facebook, Instagram e Twitter. Segundo um estudo do CareerBuilder, site americano de recrutamento, 51% dos 2.138  empregadores entrevistados desistem de contratar um candidato após verificar suas postagens. rede_social

Mesmo quem não está atrás de emprego deve tomar cuidado: chefes e colegas observam como andam as publicações alheias. “Uma atitude inflexível em uma discussão online passa a imagem de um profissional que não sabe trabalhar em equipe”, diz Luís Testa, da Catho, site de recrutamento, de São Paulo.

Para não cair em armadilhas e correr o risco de virar meme, siga as regras para preservar (e melhorar) sua imagem virtual.

1- Use ferramentas de privacidade 

A lista de amigos não é homogênea: tem chefes, ex-chefes, colegas e pessoas mais íntimas. Cada grupo pede um tipo diferente de mensagem. O Facebook cria filtros e listas que podem ser aplicados nos posts. Isso permite que alguém selecione só os amigos para compartilhar a foto do Réveillon, e só os colegas quando quiser postar um texto corporativo.

2 – Pense antes de publicar

As linhas do tempo são lotadas de informações. Mas nem todas foram revisadas antes de ser publicadas. A consequência? Posts com informações falsas e erros de português.  “Não é porque a internet é veloz que temos de nos posicionar com a mesma rapidez”, diz Bia Granja, do site Youpix, especializado em internet.

3-  Reclame na medida

As redes sociais viraram um grande SAC da vida, com gente que usa os perfis só para desabafar. Reclamar de vez em quando é normal, mas ser resmungão transmite uma imagem ruim. “Nenhum recrutador verá com bons olhos uma pessoa que está o tempo todo insatisfeita com tudo”, diz Ana Luiza Mano, fundadora do grupo Psicólogos da Internet, de São Paulo.

4- Diminua a ostentação

Há a impressão de que, na internet, todo mundo é feliz e só faz coisas incríveis. Postar imagens de viagens, restaurantes, sapatos novos e festas em excesso passa a impressão de ostentação.

O marketing pessoal exagerado não cola. Profissionais que se autopromovem assim dão a entender que não assumem falhas.

5 – Pegue leve nas críticas às empresas 

Todo cliente lesado por algum serviço ou produto tem o direito de ficar bravo e reclamar. Desde que seja no lugar certo. Melhor falar sobre o problema com a empresa ou em sites voltados para reclamações.

Por mais que esteja irritado, mantenha a cordialidade: pode ser que, daqui a um tempo, você pleiteie uma vaga na empresa com a qual brigou.

6- Lembre-se que a zoeira tem limites 

Até os mais bem-humorados precisam ter noção. Às vezes, uma piada pode ofender — mesmo que essa não tenha sido a intenção. Avalie o tom do post e nunca faça comentários ofensivos disfarçados de piadas.

Brincar com as minorias está fora de cogitação: as empresas valorizam quem sabe lidar com a diversidade.

7 – Analise as redes

Cada rede tem um perfil específico que deve ser levado em conta. Não pega bem postar convite para seu aniversário no LinkedIn ou compartilhar seu currículo no Facebook.

8 – Publique com moderação

Crie uma rotina para seus posts e uma frequência tolerável para se expor online. Quem escreve demais parece que está viciado, comportamento que pode prejudicar a produtividade e ser malvisto pelos chefes.

9 -Seja coerente

As redes sociais devem refletir quem você é na vida real. Não adianta se esconder atrás da tela e criar uma imagem diferente da mostrada no trabalho.

As pessoas percebem a incoerência e ficam em dúvida sobre a personalidade. Preste atenção também nos seus contatos: não adianta tomar cuidado com o perfil se todos os seus amigos parecem ser exatamente o contrário de quem você é.

10 – Saiba que o anonimato é lenda

Antes de publicar qualquer coisa, imagine se teria coragem de dizer aquilo pessoalmente, sem se envergonhar ou se arrepender no futuro. Na dúvida, apague o que escreveu. Essa atitude demonstra maturidade e o entendimento de que nem tudo precisa ser compartilhado.

11 – Controle as emoções

Todo mundo perde a cabeça e fala bobagem. Só que na internet o escorregão, às vezes, fica imortalizado. Respire fundo antes de se manifestar. Responder com classe a uma provocação impressiona os chefes, pois significa inteligência emocional.

12 – Evite falar sobre sua empresa

Se estiver com um problema no seu trabalho, não espalhe nas redes. Fazer isso não soluciona nada e só gera mal-estar — além de mostrar que o profissional não tem maturidade para chamar o chefe para conversar e tentar resolver a questão.

13- Cuidado com a linguagem

Vários mal-entendidos ocorrem porque as palavras para certos posts não foram bem escolhidas e possuem um tom indelicado ou irritado. Evite caixas altas, por exemplo, que são consideradas gritos na internet.

14 – Mantenha a discrição

Se a discussão com um de seus contatos ficar mais séria, opte por uma conversa particular para evitar a exposição de seus problemas ou pontos de vista polêmicos. Discrição na hora de resolver pendências é uma competência essencial em momentos de crise.

15- Leia a política de privacidade 

As empresas têm regras claras para o uso das redes sociais no ambiente corporativo. Descobrir qual é o código de conduta adotado pelo local onde trabalha minimiza erros, como compartilhamento de informações sigilosas.

16 – Saia da bolha

A dinâmica das redes contribui para que apenas conteúdo parecido com o que você posta apareça na linha do tempo. Isso colabora para que as pessoas ignorem que existem opiniões e assuntos diferentes.

É importante dar valor a informações que não fazem parte do dia a dia.

Share this:
Share this page via Email Share this page via Stumble Upon Share this page via Digg this Share this page via Facebook Share this page via Twitter

21 exercícios de neuróbica que deixam o cérebro afiado

Evitar fazer tudo no automático ajuda a turbinar a memória e a concentração

FONTE: PORTAL MINHA VIDA – NATALIA DO VALE

Quem foi que disse que o cérebro não precisa de exercícios para se manter ativo? Se o nosso corpo necessita de malhação para ficar sempre em ordem e cheio de disposição, por que com a mente seria diferente?
O cérebro também vai perdendo sua capacidade produtiva ao longo dos anos e, se não for treinado com exercícios, pode falhar. O neurocientista norte-americano, Larry Katz, autor do livro Mantenha seu Cérebro Vivo, criou o que é chamado de neuróbica, ou seja, uma ginástica específica para o cérebro.
A teoria de Katz é baseada no argumento de que, tal como o corpo, para se desenvolver de forma equilibrada e plena, a mente também precisa ser treinada, estimulada e desenvolvida. É comum não prestamos atenção naquilo que fazemos de forma mecânica, por isso costumamos esquecer das ações que executamos pouco tempo depois.cliente

“O objetivo da neuróbica é estimular os cinco sentidos por meio de exercícios, fazendo com que você preste mais atenção nas suas ações e então, melhore seu poder de concentração e a sua memória”, explica a psicóloga especialista em análise comportamental e cognitiva, Mariuza Pregnolato. “Não se trata de acrescentar novas atividades à sua rotina, mas de fazer de forma diferente o que é realizado diariamente”.
Para o neurologista da Unifesp Ivan Okamoto, tais exercícios ajudam a desenvolver habilidades motoras e mentais que não costumamos ter em nosso dia a dia, porém, tais habilidades em nada se relacionam com a memória.
“Se você é destro e começa a escrever com a mão esquerda, desenvolverá sua coordenação motora de modo a conseguir escrever com as duas mãos e caso um dia, tenha algum problema que limite a escrita com a mão direita, terá a esquerda bem capacitada para isso. Mas o fato de praticar este tipo de exercício não significa que você se verá livre de problemas como esquecer de pagar as contas, tomar o remédio, ou algo do gênero”, explica o especialista.

Como funciona a neuróbica?

A neuróbica consiste na inversão da ordem de alguns movimentos comuns em nosso dia a dia, alterando nossa forma de percepção, sem, contudo, ter que modificar nossa rotina. O objetivo é executar de forma consciente as ações que levam à reações emocionais e cerebrais. São exercícios que vão desde ler ao contrário até conversar com o vizinho que nunca dá bom dia, mas que mexem com aspectos físicos, emocionais e mentais do nosso corpo. “São esses hábitos que ajudam a estimular a produção de nutrientes no cérebro desenvolvendo suas células e deixando-o mais saudável”, explica Mariuza Pregnolato, psicóloga especialista em análise comportamental e cognitiva.
Quanto mais o cérebro é treinado, mais afiado ele ficará, mas para isso não precisa se matar nos testes de QI ou nas palavras cruzadas para ter resultados satisfatórios. “Estas atividades funcionam, mas a neuróbica é ainda mais simples. Em vez de se inscrever em um super desafio de matemática e ficar decorando fórmulas, que tal vestir-se de olhos fechados ou andar de trás para frente?”, sugere a especialista. A proposta da neuróbica é mudar o comportamento rotineiro para “forçar” a memória. Por isso, é recomendável virar fotos de cabeça para baixo para concentrar a atenção ou usar um novo caminho para ir ao trabalho.

Leia a matéria na íntegra.

Mais sobre o assunto:

Alimentos amigos da memória.

Alimentos afrodisíacos e bons para o cérebro.

Share this:
Share this page via Email Share this page via Stumble Upon Share this page via Digg this Share this page via Facebook Share this page via Twitter

Storydoing: marcas apostam no uso de pessoas comuns em ações

Por Priscilla Oliveira, do Mundo do Marketing | 23/02/2015  priscilla@mundodomarketing.com.brragrani.ru

O ano de 2015 deve se tornar marcante em relação ao poder exercido pelos consumidores perante as marcas. Se, em um passado recente, as empresas substituíram as campanhas que apenas convenciam os clientes por estratégias que as aproximavam de seu público, agora, estar inserido nas atividades rotineiras deles será a meta de muitas companhias. Uma comunicação mais relevante trará os compradores para o centro das ações, tornando-os atores e criadores de conteúdo por meio de suas próprias histórias de vida.

Um exemplo desse movimento surge nas redes sociais, canal que recebe cada vez mais atenção das organizações. As postagens das marcas tendem a deixar de lado o uso de bancos de imagens em prol da fotografia real. Segundo a pesquisa “Brasil Conectado 2014” do Interactive Advertising Bureau (IAB), a cultura selfie faz com que as pessoas queiram ser vistas e ver os demais, inclusive em momentos de uso de produtos e serviços. Ao se aproveitarem dessas oportunidades, as marcas precisam ter muito cuidado para não interferirem em demasia nas vivências e na elaboração das imagens pelos consumidores, para que o resultado não perca a naturalidade.

A estratégia de utilizar outras histórias – que não a da empresa – já é denominada como storydoing. Na prática, as experiências reais e de uso é que permeiam o roteiro. “Depois do storytelling, esse é um tema que está em processo de amadurecimento. É necessário ter uma estratégia em que as pessoas participem espontaneamente. Dessa forma, a empresa se aproxima da originalidade e da fidelidade, afinal é alguém que está falando sobre seu produto sem ser publicidade”, conta Martha Terenzzo, Professora de Gestão da Inovação do Centro de Inovação e Criatividade da ESPM e Diretora da Inova 360°, em entrevista ao Mundo do Marketing.

Conteúdo espontâneo
O fato desse tipo de ação não envolver uma linha publicitária tradicional, com contratação de elenco, não significa que o roteiro e a direção devam ser esquecidos. Ainda que de forma mais sutil, ter um cronograma das atividades faz com que o resultado alcançado seja profissional. “No caso dos vídeos, é preciso que haja uma curadoria com várias pessoas. O diretor deve saber lidar com as dificuldades de quem não sabe atuar e deixá-lo à vontade, porém pontuando onde se quer chegar”, afirma Martha.

O Instagram é um dos canais promissores para a criação de imagens com teor comercial. Por meio das hashtags, os consumidores começaram a se aperfeiçoar nas técnicas de fotografia que mais atraíam curtidas e interesse de parcerias. Muitos registros seguem tendências mundiais, como as detectadas pela Shutterstock para 2015, que incluem lifesyle, esportes, natureza e alimentação saudável. Cada companhia, de nichos diferentes, passou a adotar as publicações de terceiros em seus próprios perfis, seja por concursos culturais ou adquirindo os direitos, ao pagarem pela foto.

Os perfis de usuários ligados ao mundo fitness ganharam destaque com inúmeros patrocínios para divulgarem produtos, assim como os relacionados à maternidade começam a receber investimentos nessa área. A forma como o anúncio é feito, no entanto, pode não gerar o retorno esperado. “O cuidado que o storydoing precisa ter ao usar um rosto comum é elaborar um storytelling, com um roteiro que mostre o uso positivo do caso popular. As marcas não podem perder isso e forçar o cliente a usar hashtag, indicar loja e agir como um ator contratado faria”, conta a Professora de Gestão da Inovação.

Outro erro frequente é a repetição de um personagem que agradou ao público. Por mais carismático e convincente que seja, ele torna-se saturado muito rápido pelo consumidor. “Quando uma empresa utiliza mais de uma vez a pessoa pode ser legal, é preciso também construir uma identidade com o público, que se reconhece ali. É melhor do que contratar um ator. Só que para ser uma estratégia de storydoing ele tem que continuar contando uma história e não apenas se portando como ator”, afirma Martha.

De anônimos a influenciadores
A publicidade nativa, detectada pela Interactive Advertising Bureau, é um conteúdo produzido em formato publieditorial com pessoas comuns para ser transmitido em mídias digitais, tais como blogs, revistas ou jornais on-line, além das redes sociais. Quando feito de maneira adequada, essa ferramenta gera mais credibilidade do que a tradicional. Muitas companhias ao verem que um rosto se destacou em uma ação buscam atrelá-lo ao seu produto. Este é um erro que pode ser fatal para a campanha, uma vez que o uso de clientes tem que ser voluntário e de alguém que tenha a ver com o que será ofertado.

Uma exceção a essa regra ocorre com blogueiros. Muitos deles saíram da condição de anonimato para se tornarem ícones de referência. Com um dia a dia mais próximo dos consumidores do que as celebridades, toda recomendação feita por eles acaba ganhando proporções maiores, o que faz com que muitas marcas queiram falar com os nomes da blogosfera que mais estiverem em evidência. Com isso, concorrentes, muitas vezes, incorrem no mesmo erro de ter garotos-propaganda semelhantes.

Um consumidor qualquer também pode acabar se destacando por uma ação pontual e se tornar conhecido – situação mais rara. “São poucas as marcas que já apostam em pessoas comuns, a maioria ainda não despertou para isso. Existe uma busca por retorno financeiro e as empresas acabam presas a números, deslumbradas com um estilo de vida que nem sempre corresponde ao produto que a marca está trabalhando. Por isso, quando muitas pensam em utilizar estereótipos de vida real, buscam blogueiras mais famosas”, afirma Ana Luiza Fragoso, Jornalista e Fundadora do Blog Oxente Menina, em entrevista ao Mundo do Marketing.

A aproximação de Ana Luiza com as marcas começou em 2010, quando a página dela ainda estava recém-lançada. A fabricante de bolsas Couro&Cia a convidou, juntamente a outros nomes da web do Nordeste, para elaborarem uma linha de acessórios e divulgarem em suas redes. “A ação durou seis meses, entre elaboração e divulgação. Não tivemos participação nas vendas. O acordo incluía a entrega de dois produtos da marca por mês, a publicação de textos sobre esses itens e uma pequena remuneração”, conta Ana Luiza.

Baixo custo
Com a visibilidade da jornalista, outras marcas a procuraram para ações, como a idealização de um batom para uma linha específica da Tracta e convites para conhecer um serviço ou produto e republicar nas redes sociais dela. “Existe o lado bom e o lado sujo de fazer esse tipo de trabalho, dependerá da postura da empresa. Por não ser um rosto famoso, eles acreditam que não precisam pagar ou dão apenas uma ajuda de custo. Muitos querem que eu divulgue apenas por prazer, mas quando eles procuram uma blogueira mais conhecida não se incomodam em pagar até R$ 95 mil”, avalia Ana Luiza.

A questão do baixo custo é algo a ser considerado pelas agências, ainda mais em um ano economicamente instável. Os valores pagos em outrora às celebridades, foram reduzidos e destinados aos blogueiros. A mudança no perfil desse profissional, no entanto, elevou o cachê de alguns, o que tende a gerar um novo ciclo de busca por rostos desconhecidos ou mesmo a procura por anônimos nas ruas. O uso dos influenciadores visuais continuará sendo importante no ambiente digital.

O que as empresas precisam se atentar é ter outras visões para o storydoing, para que ele não deixe de ser inusitado. “Há meninas que se tornaram milionárias com essas ações com marcas, mas já há um desgaste. De pessoas comuns, elas viraram celebridades. Algumas mudaram o editorial, começaram a favorecer outros pontos de vista e deixaram de ter autenticidade, principalmente aquelas que atuam com moda. Há uma gourmetização do celebrity, o anônimo fez uma campanha e vira famoso. Isso acaba enjoando a imagem rapidamente”, afirma Martha Terenzzo.

Naturalidade
À medida que a publicidade nativa torna-se um meio estabelecido, os anunciantes devem aliar-se aos veículos para encontrar o equilíbrio entre conteúdo comercial e editorial. O recurso de pessoas comuns precisa vir de forma equilibrada com outras ações e de modo a conversar com os consumidores da marca de igual para igual. A Kipling alimenta seu blog corporativo com textos e imagens feitos por clientes da marca. Em 2012, a empresa criou um concurso cultural que escolheu cinco correspondentes – uma de cada região do Brasil – para atualizar a página. Em troca, as jovens recebem produtos e um valor de R$ 500,00.

A estratégia levou um olhar diferente aos produtos em relação ao que as pessoas habitualmente viam em catálogos da loja. “A curadoria é toda de quem escreve, nós apenas orientamos em casos isolados. É um olhar não profissional, mas ao mesmo tempo com muita qualidade e criatividade. Elas mostram um jeito diferente de usar o produto e ainda levam dicas das cidades delas. Não criamos exigências, a participação delas tem que ser natural”, conta Nathália Mansur, Analista de Marca da Kipling, em entrevista ao Mundo do Marketing.

A companhia levou seu nome para outros canais, além de sua página corporativa, com o apoio dado para uma de suas correspondentes ir estudar em Londres. O patrocínio a uma blogueira foi um caso isolado e aberto pela identificação mútua das partes parceiras. “A Melina Souza tem a cara da Kipling e, na época, fez uma ação fotográfica com o nosso mascote Arnold. Ela já escrevia para nosso blog e, mesmo antes disso, gerava conteúdo sobre a empresa. Foi uma forma de retribuir o carinho dela pela gente. Ela acabou filmando sua temporada no exterior, o que gerou uma publicidade espontânea para nós”, conta Nathália Mansur.

Share this:
Share this page via Email Share this page via Stumble Upon Share this page via Digg this Share this page via Facebook Share this page via Twitter

Latinha tem pin-up que tira roupa quando cerveja está gelada

Para ganhar competitividade e mercado, as marcas menores abusam da criatividade para atrair consumidores. A estratégia é basicamente a mesma já utilizada pela Skol, quando um determinado ponto do rótulo ficava azul quando a cerveja estava gelada.Бордюры железобетонные

Fonte: exame.com.

São Paulo – “Quanto mais gelada, mais gostosa”.

A frase é geralmente repetida por quem aprecia o sabor da cerveja brasileira, principalmente nas épocas mais quentes de verão.

Quase como numa brincadeira com a expressão dita pelos amantes da bebida refrescante, a Conti Bier resolveu apostar numa latinha diferente.

Criada pela WMcCann, a nova embalagem traz uma pin-up desenhada em seu verso para sinalizar de maneira atraente quando a bebida estiver com a temperatura ideal para o consumo.

Estampada trajando um vestido enquanto a embalagem está em temperatura ambiente, a pin-up fica só de biquíni quando a cerveja estiver gelada.

O efeito acontece devido a um sensor térmico aliado à impressão em tinta termocrômica.conti-bier

“É quando esta lata esfria que o clima esquenta”, diz o anúncio que promoverá a edição limitada nas edições de fevereiro e março da revista Auto Esporte, além de filme que mostra o processo de produção das novas latas e será divulgado na fanpage da marca.

Para esta ação, foram produzidas 1,5 milhão de latas, que serão vendidas nas regiões Sudeste, Centro-Oeste e Sul.

Confira o vídeo que mostra o striptease da latinha.

Share this:
Share this page via Email Share this page via Stumble Upon Share this page via Digg this Share this page via Facebook Share this page via Twitter

4 formas de vencer a apatia da plateia em uma apresentação

Se você é professor e/ou palestrante e por algumas vezes já se deparou com uma platéia apática e dispersa, veja abaixo algumas dicas que podem ajudarrpk-tramplin

Fonte:exame.com

São Paulo – Às vezes, não adianta ter slides vistosos nem falas bem ensaiadas. Se você tem alguma experiência com o assunto, deve saber que mesmo as melhores apresentações estão sujeitas à frieza e à apatia da plateia.

Por mais que você se esforce – e até tente fazer piadas sobre o silêncio mortal do público – a sensação é a de estar falando com as paredes. Mas por que é tão difícil fazer as pessoas participarem?maos

Autora do livro “Apresentações brilhantes” (Editora Sextante), a psicóloga Susan Weinschenk tem uma explicação simples: somos preguiçosos.

Nossa tendência natural ao repouso remonta ao tempo das cavernas. “Os seres humanos aprenderam que serão capazes de sobreviver por mais tempo e melhor se conservarem sua energia”, escreve Susan.

O desafio do apresentador não é pequeno. Se milênios de evolução nos ensinaram as vantagens de ficarmos quietos em nossas cadeiras, para que vamos gastar nossas forças respondendo a uma pergunta em voz alta, por exemplo?

De acordo com Susan, uma possível solução é aplicar lições da psicologiacomportamental para derrotar a inércia e induzir as pessoas a participarem. Veja a seguir algumas das táticas sugeridas pela autora:

1. Dê a recompensa favorita do público (às vezes)
“Ratos famintos querem ração. O que a sua plateia deseja?”, escreve Susan. As recompensas podem ser diversas: prêmios, chocolates ou até um simples elogio do apresentador. O importante é estudar o perfil da plateia antes da apresentação para saber o que a estimula.

Uma dica, aqui, é usar o que se chama em psicologia de “estímulo variável”. Em vez de dar a recompensa sempre que as pessoas participarem da sessão, limite-se a concedê-la apenas algumas vezes, de forma aleatória. Segundo a autora, a imprevisibilidade do estímulo é instigante para as pessoas e ajuda criar expectativa.

2. Conceda autonomia
As pessoas gostam de fazer as coisas por si mesmas. Vai propor uma atividade? É melhor deixar a plateia decidir os detalhes. Será em grupo? Permita que as pessoas formem suas próprias equipes.

“Reconheça que as pessoas gostam de ser independentes e crie maneiras para que elas se sintam no controle”, diz Susan. A sensação de autonomia traz segurança à plateia e incrementa sua motivação para agir.

3. Estimule a competição em pequenos grupos
Não é novidade que a maioria das pessoas adora disputar – e o que quer que seja. Usar essa característica humana para mobilizar a plateia costuma funcionar, principalmente se a “briga” for travada em pequenos grupos.

“Quanto menor a plateia, maior a probabilidade de que as pessoas se motivem a fazer um exercício que envolva competição”, diz a psicóloga. Isso porque pesquisas de comportamento já provaram que ficamos mais motivados para competir quando temos poucos concorrentes.

4. Proponha ações que envolvam contato social
Embora não devam ser esquecidas por completo, tarefas individuais costumam gerar menos entusiasmo do que aquelas feitas em grupo.

Não é à toa: somos estimulados pela perspectiva de travar contato social.“Se você incluir atividades em sua apresentação que permitam às pessoas conversar, trabalhar juntas ou discutir o conteúdo que está sendo abordado, a plateia ficará mais interessada”, diz Susan.

Share this:
Share this page via Email Share this page via Stumble Upon Share this page via Digg this Share this page via Facebook Share this page via Twitter

32 empresas que estão buscando estagiários e trainees

Fonte: exame.com

São Paulo – Para quem mira uma vaga de trainee ou estágio, confira as oportunidades disponíveis nos programas com inscrições abertas em ordem crescente de término do prazo.

IBI Promotora – estágio
As oportunidades são para trabalhar em Alphaville (SP). Podem se candidatar universitários com conclusão de graduação prevista para dezembro de 2016 nos cursos de administração de empresas, análise e desenvolvimento de sistemas, arquitetura, contabilidade, comunicação social, economia, engenharias, estatística, marketing, matemática, publicidade e propaganda, psicologia, pedagogia, tecnologia da informação (TI), sistema da informação, Conhecimento do Pacote Office é um requisito. O início do programa está marcado para março.

Salário: não informado. Benefícios: vale refeição e vale alimentação (valor total de 550 reais), assistência médica e odontológica, seguro de vida, auxílio transporte.
Inscrições: até 4 de fevereiro pelo site da Soulan 

Gol – estágio
O programa recruta estudantes dos cursos de administração de empresas, aviação civil, engenharia, economia, matemática, estatística, psicologia, direito, turismo, ciências contábeis, marketing e comunicação social, com conclusão prevista entre 1º e o 2º semestre de 2016. Ao todo, são 32 vagas distribuídas entre a sede da empresa e central de relacionamento com o cliente, em São Paulo (SP), e o Centro de Manutenção de Aeronaves, em Belo Horizonte/Confins (MG).

Salário: não informado
Inscrições: até 8 de fevereiro pelo Vagas.com

GSK – trainee
A empresa recruta jovens formados entre dezembro de 2012 e dezembro de 2014 em administração, economia, estatística, engenharia de produção, entre outras. É preciso ter inglês fluente. além de experiência prévia, mesmo como estagiário, na área de compras.

Salário: não informado
Inscrições: até 8 de fevereiro pelo site oficial

Google – estágio
O programa Google Business Internship busca universitários que se formam em dezembro de 2015. A empresa oferece 26 vagas de estágio para atuar no seu escritório em São Paulo, em diversas áreas, como vendas, marketing e atendimento ao cliente.

Salário: não informado
Inscrições: até 15 de fevereiro pelo site da empresa

ZF Lenksysteme GmbH – trainee
A empresa tem vagas para profissionais formados entre julho de 2012 e julho de 2014. É preciso ter curso de graduação ou mestrado em engenharia (mecânica, mecatrônica, elétrica ou produção). Outros pré-requisitos são notas acima da média, fluência em inglês e alemão intermediário. O programa começa na Alemanha, continua em um segundo país estrangeiro e termina em Sorocaba (SP).

Salário: 5 mil reais
Inscrições: até 18 de fevereiro pelo Vagas.com

MV – trainee
Para participar, é preciso ter formação superior concluída entre dezembro de 2012 e janeiro de 2015 em administração de empresas, economia, contabilidade, ciências da computação, sistemas da informação ou em cursos de saúde (enfermagem, fisioterapia, farmácia, etc.) É preciso ter disponibilidade para viagens e mudança de cidade, além de conhecimento das ferramentas Office (Word, Excel e PowerPoint), Windows e uso da internet. Espanhol é desejável.

Inscrições: até 20 de fevereiro pelo site do programa

Lojas Americanas – estágio
Podem se candidatar estudantes de todo o país nas áreas de administração, ciências contábeis, relações internacionais, comunicação social, economia e engenharia de produção, com previsão de formatura de julho a dezembro de 2015.

Salário: não informado
Inscrições: até 20 de fevereiro pelo Vagas.com

BNP Paribas Cardif – trainee
Os pré-requisitos para participar são ter inglês fluente, conhecimentos avançados no pacote Office. Também é preciso ter no máximo dois anos de formado Espanhol é diferencial.

Salário: não informado
Inscrições: até 23 de fevereiro pelo site do programa

Nielsen – estágio/trainee
O programa de estágio-trainee é voltado para estudantes dos cursos de administração de empresas, ciências sociais, ciências atuariais, comunicação social, economia, engenharia, estatística, matemática, marketing, publicidade, relações internacionais e afins. Os aprovados serão estagiários durante 8 meses. Depois desse período, cada um passará pela avaliação de seu gestor, que poderá indicá-los ou não para a fase seguinte do programa. Uma vez indicados, os estagiários tornam-se analistas e iniciam a segunda etapa do desenvolvimento. Nesse momento do programa, com média de três meses de duração, haverá treinamentos intensivos e os aprovados passam a atuar como executivos de atendimento júnior.

Salário: durante a primeira etapa, 1,6 mil reais para penúltimo ano e 1,8 mil reais para último ano. Na segunda fase, a remuneração passa para 2,7 mil reais para todos, independentemente do ano cursado na faculdade.
Inscrições: até 25 de fevereiro pelo site do programa

Grupo Protege – trainee
As inscrições estão abertas para recém-formados ( entre dezembro de 2009 e dezmbro de 2014) nos cursos de administração de empresas, ciências contábeis, engenharia e economia. Conhecimentos de inglês e/ou espanhol são desejáveis e é preciso ter total disponibilidade para viajar e mudar de cidade. Outro requisito é o domínio do Pacote Office.

Salário: não informado
Inscrições: até 28 de fevereiro pelo site Vagas.com

Vivara/Etna – trainee
São 10 oportunidades para trabalhar em São Paulo (SP) e o programa dura 12 meses. Aprovados passarão por vivência em loja e nas áreas de interface com o setor de interesse e também vão desenvolver um projeto.

Salário: não informado
Inscrições: até 5 de março pelo Vagas.com

Esmaltec – estágio
As 56 oportunidades são para trabalhar em Maracanaú, no Ceará. Podem se candidatar estudantes a partir do 2º semestre de cursos técnicos da área de mecânica, elétrica, eletromecânica, eletrotécnica, automação, ambiental, química e segurança do trabalho. Também há oportunidades de estágio para alunos a partir do 4º semestre de cursos superiores de administração, economia, ciências contábeis, psicologia, nutrição, publicidade e propaganda, comércio exterior, ciência da computação, rede de computadores e engenharias (elétrica, mecânica, automação, produção, química e ambiental).

Inscrições: até 5 de março de 2015 pelo Vagas.com

Subsea 7 – estágio
São 20 oportunidades de estágio no Rio de Janeiro (RJ). Para participar, é preciso estar matriculado em curso de graduação, com conclusão prevista para o período entre julho de 2016 e maio de 2017. Para participar, o aluno deve estar ativamente matriculado em curso de graduação, com conclusão prevista para julho de 2016 a maio de 2017.

Salário: não informado
Inscrições: até 13 de março pelo site Vagas.com

BTG Pactual – trainee
A empresa busca profissionais com formação entre junho de 2013 e julho de 2015. Os cursos de interesse são administração, ciências contábeis, ciências econômicas, matemática, engenharias e demais ciências exatas e de tecnologia. É preciso ter inglês fluente e disponibilidade para mudanças.

Salário: não informado
Inscrições: até 22 de março pelo site do programa

PwC – trainee
As áreas são auditoria, consultoria de negócios e consultoria tributária e societária. Alguns dos cursos demandados são administração, ciências atuariais, ciências contábeis e ciências econômicas, direito, estatística, física, gestão ambiental, matemática, relações internacionais, psicologia, entre vários outros, dependendo da área de atuação.

Salário: não informado
Inscrições: os prazos variam, podendo ir até março de 2015 em algumas cidades. As datas de acordo com cada localidade podem ser acessadas no site da empresa. As inscrições podem ser feitas no site do programa.

Leroy Merlin – trainee
A empresa busca candidatos com graduação entre dezembro de 2010 e dezembro de 2014.A s vagas estão divididas em duas áreas de atuação: comercial e gestão. A área comercial é a principal área da empresa e envolve o planejamento (mercado, mix de produtos, exposição, preço) de uma seção de produtos, além de gestão e desenvolvimento de pessoas. Gestão envolve a área administrativo-financeira da loja, responsável por acompanhar objetivos econômicos ao lado do núcleo comercial.

Salário: não informado
Inscrições: até 12 de abril pelo site do programa

EY – trainee
O programa é destinado a universitários a partir do 2º ano de graduação ou recém-formados (até 2 anos) dos cursos de administração de empresas, ciências atuariais, ciências contábeis, direito, economia, engenharia (todas), estatística, física, cursos de TI, matemática e relações internacionais. Inglês intermediário é pré-requisito.

Salário: não informado
Inscrições: pelo Vagas.com. Segundo o site do programa, as inscrições se iniciaram em dezembro de 2014 e o processo se estende até setembro e outubro de 2015, quando as admissões das últimas turmas são finalizadas. O programa tem diferentes datas de contratação mas, quanto mais cedo você se inscrever, mais chances o candidato terá.

Rexam – estágio
A fábrica da empresa em Extrema (MG) tem quatro vagas de estágio destinadas a alunos dos cursos técnicos de mecânica ou mecatrônica e segurança do trabalho, matriculados no 1º ou 2º período, e a estudantes de nível superior nas áreas ambiental ou de segurança, com formação técnica em segurança do trabalho. Também há uma vaga para alunos de engenharia, cursando o 6º período.

Inscrições: prazo não informado. Currículos devem ser enviados para o e-mail curriculo@rexam.com

Ambev – estágio
O programa de estágio 2015 é direcionado a estudantes no penúltimo ou último ano de diversos cursos. É exigido nível intermediário de inglês.

Salário: não informado
Inscrições: o ano todo pelo site do programa

Sanofi – estágio
O processo de seleção acontece o ano inteiro e, mensalmente, há abertura de oportunidades de estágio nas áreas de administração, biologia, bioquímica, ciências da computação, ciências contábeis, comunicação social, contabilidade, direito, economia, enfermagem, engenharias, farmácia, marketing, psicologia, publicidade e propaganda, relações internacionais, secretariado e sistemas de informação. Selecionados vão trabalhar em São Paulo (SP), bairro do Morumbi.

Salário: de 1.630 reais (6 horas diárias) a 2.171 reais (8 horas diárias).
Inscrições: o ano todo pelo site da Sanofi ou da Page Talent

Hypermarcas – trainee
Podem participar recém-formados ou alunos que estejam cursando o último ano nos cursos de engenharia, administração, economia, marketing e áreas correlatas.

Salário: não informado
Inscrições: o ano todo pelo site Vagas.com

Nestlé –  estágio
A empresa busca candidatos com formação prevista entre dezembro de 2015 e dezembro de 2016. São aceitos todos os cursos de graduação de acordo com o setor de atuação. Ter inglês no mínimo intermediário é pré-requisito.

Salário: não informado
Inscrições: o ano todo no site da Cia de Talentos.

Unicasa Móveis – trainee
Os candidatos devem ter graduação entre 2009 e 2015 e disponibilidade para viajar e residir em qualquer região do Brasil. O programa acontece em Bento Gonçalves (RS), sede da empresa.

Salário: 3 mil reais
Inscrições: até 10 de março pelo site do programa

Deloitte – trainee 
Podem se candidatar universitários a partir do 2º ano de graduação ou recém-formados nos cursos de administração de empresas, ciências atuariais, ciências contábeis, comércio exterior, direito, economia, estatística, relações internacionais, biologia, engenharia (todas), informática, matemática, sistemas de informação, ciência da computação, processamento de dados, análise de sistemas e física. É preciso ter nível ao menos básico de inglês para candidatos na área de outsourcing e nível intermediário para candidatos às demais áreas. A área de outsourcing também requer, no mínimo, 6 meses de experiência para contábil, financeiro e fiscal. É necessário ter disponibilidade para trabalhar em período integral e para viagens.

Salário: não informado. A empresa oferece vale-transporte, ticket alimentação, plano de saúde, previdência privada, seguro de vida em grupo, PLR.
Inscrições: ano todo pelo Vagas.com.

Gemalto – estágio
O programa de estágio é destinado a universitários de antepenúltimo, penúltimo e último ano de graduação dos seguintes cursos: administração, ciências da computação, comércio exterior, economia, engenharia da computação, engenharia elétrica, sistema da informação, marketing, psicologia, recursos humanos, relações internacionais e relações públicas. O programa tem duração de até dois anos e carga horária flexível entre 20 e 40 horas semanais.

 

Salário: não informado
Inscrições: o ano todo pelo site da Gemalto

P&G – estágio
Há 150 oportunidades em todo o país, incluindo São Paulo (SP), Manaus (AM), Rio de Janeiro e Queimados (RJ), , e as fábricas localizadas em Manaus, Rio de Janeiro e Queimados (RJ), Salvador, Via Anchieta, em São Paulo, e Louveira (SP). É necessário ter inglês fluente. Quem se candidata precisa se formar entre julho de 2015 e julho de 2016, nas áreas de marketing, vendas, tecnologia da informação, finanças e logística.

Salário: não informado
Inscrições: o ano todo pelo site da P&G

Ipiranga- estágio
Para se candidatar é preciso estar no penúltimo ou o último ano da graduação nas áreas de engenharias, administração, economia, contabilidade, direito, ciência da computação, química, comunicação social, propaganda e marketing, direito, psicologia, arquitetura, educação física e nutrição.Ao todo são 160 oportunidades e metade delas é para trabalhar no Rio de Janeiro.

Salário: entre 1000 reais e 1.300 reais
Inscrições: o ano todo pelo site Ipiranga

Itaú BBA – estágio
A empresa recruta estudantes com formação prevista entre dezembro de 2015 e julho de 2016. É exigido inglês avançado ou fluente, além de bons conhecimentos em Pacote Office. Os cursos mirados são administração de empresas, ciências contábeis, comunicação social, direito, economia, engenharia, física, estatística, marketing, matemática, pedagogia, propaganda, psicologia, publicidade e relações públicas.

Salário: 2 mil reais
Inscrições: o ano todo pelo site da Cia de Talentos 

Santander – estágio
As oportunidades são para estudantes de diversas áreas, tais como administração, ciências contábeis, comunicação social, marketing, psicologia e relações internacionais. É preciso se formar entre julho de 2015 e dezembro de 2016.

Salário: não informado
Inscrições: o ano todo no site do Vagas.com

Citi – estágio
No programa de estágio da empresa, há vagas para estudantes de qualquer área com previsão de formatura entre julho de 2015 e dezembro de 2016. É preciso inglês a partir de nível intermediário e disponibilidade para estagiar em São Paulo (SP).

Salário: 1,6 mil reais
Inscrições: o ano todo pelo site do 99jobs

Henkel – estágio
Há vagas para trabalhar em três cidades do estado de São Paulo: Diadema, Itapevi e Jundiaí. Para se candidatar, é preciso estar entre o 2º e o penúltimo ano da graduação. A empresa busca estudantes de administração de empresas, ciências contábeis, direito, economia, engenharias, marketing, publicidade e propaganda, química e relações internacionais. Outro pré-requisito é ter inglês intermediário.

Salário: não informado
Inscrições: o ano todo pelo site da empresa

Share this:
Share this page via Email Share this page via Stumble Upon Share this page via Digg this Share this page via Facebook Share this page via Twitter

Oportunidade para Engenheiro Eletricista

FUNÇÕES:

Coordenar empreendimentos, executar serviços e estudar processos elétricos e eletrônicos.

RESPONSABILIDADES E ATRIBUIÇÕES:

  • · Gerenciar todas as equipes de terceiros responsáveis pelas instalações industriais, no que tange custo,

cronograma, prazo e qualidade;

  • · Garantir a aderência dos sistemas elétricos e eletrônicos instalados com o escopo planejado;
  • · Buscar e homologar empresas parceiras no mercado local para participar das concorrências;
  • · Elaborar o edital para concorrência e escolha da empresa vencedora;
  • · Coordenar as empresas contratadas para a execução das instalações industriais;
  • · Contribuir com soluções técnicas de projetos de infraestrutura elétrica;
  • · Prover ganhos de escala e economia com soluções ótimas para as instalações com rearranjos dos

projetos;

  • · Planejar e especificar sistemas e equipamentos elétricos e eletrônicos;
  • · Elaborar relatórios e laudos técnicos em sua área de especialidade;
  • · Fazer estimativa dos custos da mão-de-obra, dos materiais e de outros fatores relacionados com os

processos de instalação do escopo do cliente;

  • · Participar de programa de treinamento, quando convocado;
  • · Participar, conforme a política interna da Instituição, de projetos, cursos, eventos, convênios e

programas de ensino, pesquisa e extensão;

  • · Trabalhar segundo normas técnicas de segurança, qualidade, produtividade, higiene e preservação

ambiental;

  • · Executar outras tarefas compatíveis com as exigências para o exercício da função.

COMPETÊNCIA TÉCNICA:

Formação Escolar: Graduação em Engenharia Elétrica e registro no CREA.

Experiência: Mínima de três anos como Engenheiro Eletricista (comprovado em carteira de trabalho).

Habilidade: Agilidade, Organização, Conhecimento técnico, Visão Sistêmica e Facilidade de

Comunicação.

Empresa: Rio Verde Engenharia e Construções LTDA – Construtora Grande Porte

Vaga na cidade de: Olimpia/SP

Horário: das 07 às 17h, de segunda a quinta, e sexta até as 16h.

Salário: Acima de 6 mil.

Beneficios: PLR, Bolsa de Estudos – Pos graduação (50%), ticket alimentação/refeição, plano de saúde e odontológico (UNIMED), folga de campo, alojamento ou aluguel, Previdência Privada etc.

Se possível, informe para enviar currículos neste email: daniele.nascimento@rioverde.com.br

Share this:
Share this page via Email Share this page via Stumble Upon Share this page via Digg this Share this page via Facebook Share this page via Twitter