Pesquisa aponta otimismo e crescimento no Marketing em 2015

Apesar das incertezas, profissionais estão confiantes. Adversidades podem ajudar a definir o mercado e garantir o desenvolvimento dos que são realmente bons no que fazem.

Fonte: Mundo do Marketing | Roberta Moraes – 08/01/2015 – roberta.moraes@mundodomarketing.com.br

Depois de passar por um ano considerado complicado, o mercado olha para 2015 como um período de incertezas e grandes desafios. Segundo especialistas, o momento de crise, entretanto, é justamente aquele que serve para definir o mercado e garantir o crescimento dos que são realmente bons no que fazem. Apesar do temor e das inseguranças, uma pesquisa realizada pelo Mundo do Marketing com o Opinion Box mostra que os executivos apostam no otimismo para encarar os próximos 12 meses.

Para saber o que os profissionais de marketing esperam e como se preparou para 2015, o levantamento ouviu 347 gestores na primeira quinzena de dezembro. Entre os participantes, 52,2% são homens, 50,1% atuam no setor de Marketing e comunicação das empresas, 22,3% ocupam cargo de direção e 30,5% têm entre 30 e 39 anos. Apesar do cenário de incertezas, o mercado está confiante com o ano que inicia e mais de 80% dos entrevistados disseram que suas empresas manterão ou aumentarão o orçamento de Marketing em relação ao que foi investido em 2014.

De acordo com a pesquisa, 69,5% acreditam que as vendas terão aumento e, destes, quase 76% apostam que o crescimento será de até 30%. Apenas 8,4% preveem queda, dos quais 86% apostam que ela será de até 20%. Pouco mais de 22% dos respondentes acreditam que o faturamento será igual ao de 2014. “Apesar de todos os analistas apontarem que 2015 será muito complicado e difícil, a pesquisa mostra que a percepção das pessoas é de que este será um ano bom em relação ao desempenho da própria empresa. Os profissionais estão otimistas”, comenta o publicitário Felipe Schepers, Cofundador da Opinion Box, em entrevista ao Mundo do Marketing.

Planejamento ajuda a superar desafios
Não basta, entretanto, apenas otimismo para crescer em 2015, é preciso investimento e planejamento. Entre os respondentes da pesquisa do Mundo do Marketing, 60,8% apostam no lançamento de novos produtos e serviços e na expansão da rede para alcançar os bons resultados. Ao avaliar especificamente o mercado em que atuam, 83,6% disseram que este ano será igual ou melhor do que 2014. A opinião dos executivos está equilibrada em relação ao desempenho da economia: 36% estão otimistas e acreditam que 2015 será melhor do que o ano que passou. Já 35,7% acreditam que será pior e pouco mais de 28% acham que não terá mudanças.

O desespero atinge especialmente aqueles que não se planejaram para as adversidades. Quem opta por investir corretamente acaba se estabilizando e entrando na faixa de mercado que deve crescer. Os anos de crise costumam servir para diferenciar e estabelecer aqueles que se destacam e que realmente se prepararam. “Diferente do que todo mundo imagina, quem é bom cresce em meio à adversidade”, sentencia Edmour Saiani, Fundador da Ponto de Referência, em entrevista ao Mundo do Marketing.

E, para se diferenciar e superar os desafios, é preciso empenho e planejamento. A construção de diferenciais deve ser repensada. No momento de incertezas, deve-se investir na renovação da imagem. “As marcas fortes têm que entender que os canais de vendas precisam delas. O atendimento diferenciado será decisivo na tomada de decisão do consumidor. A maior força que uma marca pode ter neste momento é o Marketing educacional. Se todos os varejistas estão temerosos, as grandes empresas têm que ajudá-los a encontrar seus próprios diferenciais para fidelizar os clientes”, explica Saiani.

Hortifruti aposta na abertura de novas lojas
A varejista Hortifruti foi uma das empresas que apostou no planejamento para passar pelos períodos de turbulência da economia brasileira sem agonizar. Desde o ano passado, a marca vem se ajustando para não sofrer os impactos da recessão. Para não ser prejudicada com a oscilação de preços por conta das safras, a rede – que conta com 29 lojas próprias – possui quatro centros de distribuição: dois no Rio de Janeiro, um no Espírito Santo, sede da empresa, e um em São Paulo. A frota própria com 115 veículos permite que os produtos saiam do campo e cheguem às lojas em menos de 24 horas.

Apesar de se deparar com um mercado assustado e temeroso com o que pode acontecer em 2015, o Hortifruti resolveu se organizar para continuar crescendo. A meta é que os incrementos cheguem a 20% em relação a 2014. No planejamento para este ano, está a previsão da abertura de seis novas lojas, ampliando o alcance da rede, que hoje conta com fluxo mensal de 1,8 milhão de clientes. Estes consomem cerca de 12 mil toneladas de frutas, legumes e verduras (FLVs).  As novas unidades serão abertas em Rio das Ostras, Macaé e Niterói, no Rio de Janeiro, e Higienópolis, em São Paulo, além de outras duas lojas em locais a definir.

A empresa também reformará cinco unidades neste ano. A marca está apostando em um novo modelo para encantar os consumidores. “A loja em Higienópolis, que será inaugurada em março, trará um novo conceito para o consumidor e será um projeto piloto, que, se aprovado, será levado para todas as unidades. Há cinco anos estamos estudando este projeto que oferecerá uma nova experiência de compra aos nossos clientes, repaginando processos, serviços e equipamentos e garantindo mais interatividade. Essa é uma forma de acreditarmos e estarmos nos preparando para 2015. Não vamos ficar esperando a crise chegar”, afirma Fabio Hertel, Diretor de Comunicação e Novos Negócios do Hortifruti, em entrevista ao Mundo do Marketing.

Empresa investe em relacionamento com os clientes
No mercado desde 1989, a empresa quer continuar investindo em 2015 na relação com os consumidores. Para estreitar os laços, o Hortifruti busca mostrar seus valores e incentivar o retorno das refeições em família. Em 2014, a empresa levou 130 clientes para um resort durante quatro dias, onde foram realizadas palestras e atividades interativas para incentivar o resgate dos momentos em família e a união entre as pessoas que se amam.

A proposta lançada há cerca de seis anos deve ser ampliada, por meio de ações interativas e concurso cultural. “Vamos continuar investindo nesta bandeira, pois, na prática, percebemos que este tipo de comunicação dá muito mais resultado do que ficar anunciando preços. Queremos incentivar a restauração do encontro familiar em torno da refeição, pois a cada dia as pessoas estão mais fechadas nos seus telefones, tablets e televisões”, explica Hertel.

A companhia não divulga o orçamento de Marketing, que é investido de acordo com as necessidades de cada praça. O valor tende a crescer por conta da previsão do aumento do faturamento para este ano, que deve superar 2014 em 20%. Nos últimos 12 meses, a marca investiu R$ 40 milhões em melhorias das lojas, aquisições de equipamentos, caminhões, qualificação dos colaborados e na implantação do novo sistema de Serviço de Atendimento ao Público (SAC), que foi fundamental para que a empresa evoluísse no relacionamento com os clientes.

Mercado mobile está otimista
Com o mercado mais competitivo e o shopper perdendo o poder de compra, é necessário que as marcas tenham uma comunicação cada vez mais eficaz para serem lembradas no momento da aquisição. Por conta disso, as empresas especializadas em dispositivos móveis celebram uma temporada promissora, por garantirem uma relação com o consumidor única. Na Hanzo, empresa de mobile Marketing, cuja plataforma permite o estreitamento do relacionamento entre o varejo e consumidores pelo smartphone, o ano começa com comemoração.

Antes de iniciar 2015, a Hanzo já tinha fechado mais de 10 contratos para serem implantados ao longo do novo ano. A expectativa é de que, no primeiro trimestre, outros 15 trabalhos sejam acordados. Com o mercado aquecido, a empresa registrou demanda maior do que poderia atender em 2014, o que provocou a aceleração do crescimento da organização. Pela primeira vez, a direção faz uma projeção positiva em 10 anos da marca. E a previsão é de que novos 15 funcionários sejam contratados em 2015, o que representa um crescimento de 50% no número de colaboradores, parte focada em vendas e outra na aceleração da plataforma.

Enquanto alguns setores sofrem com a estagnação da economia e com a expectativa de um ano difícil, o segmento de mobile Marketing surge para contribuir e impulsionar as vendas do varejo. “A nossa ferramenta permite que as empresas mantenham uma relação diferenciada com os seus clientes, o que contribui no momento de crise. Conhecendo o seu consumidor é possível enviar ofertas relevantes que fidelizarão o público e farão com que ele esteja ao seu lado neste momento difícil”, afirma Federico Pisani, Fundador e CEO da Hanzo, em entrevista ao Mundo do Marketing.

Share this:
Share this page via Email Share this page via Stumble Upon Share this page via Digg this Share this page via Facebook Share this page via Twitter